terça-feira, 26 de setembro de 2017

Poema: Eu Falo ?!

Eu falo? Falo pra quem olha, quem pergunta e quem deseja Não tem nada de anormal, só fale com certeza
O vento passou por aqui
Disse pra eu ter paciência e vencer o medo Que a vida vai seguir seu rumo, cheia de segredos

Recebe quem pede perdão, um abraço ou um beijo Resisto quando passo e olho, de longe e vejo Anjo moreno, das letras, jeito de poeta Nas mãos caneta e papel, indica uma seta




Olha, põe a mão na testa, abaixa a cabeça Me chama de preto, teu macho, topa uma cerveja? Meu abraço e o teu, numa dança qualquer que eu falo Tu falas tanto de “falo”, e eu que nem fumo, te trago.


domingo, 10 de setembro de 2017

Se Chorei ou Se Sorri, o Importante É que Emoções Vivi

Olha eu aqui de novo, escrevendo aqui no blog, passando pra dizer que estou bem, estou ótimo e maravilhoso. Clima de coisa boa, e não só por algo isolado, e sim, por tudo ! Claro que nem tudo é como a gente gostaria, não é mesmo? Mas é preciso celebrar o que há de bom, primeiramente, o resto o universo se encarrega de trazer. Atualmente estou realizando um sonho, que é a minha graduação, que pra muitas pessoas é algo banal, quando se faz o que não gosta pra poder cumprir os protocolos do mercado de trabalho regular ( blá blá blá, whyskas sachê ... ) é realmente bem chato, mas pra mim o significado de acordar bem cedo de manhã e ir pra universidade é outro, tem um sabor diferente, o de vitória, mesmo não tendo eu concluído, vitória pelo aspecto de estar - de alguma maneira - sendo respaudado com relação ao meu crescimento enquanto artista, e enquanto homem também, pela escolha que eu fiz. Ser grato às oportunidades recebidas sempre faz a maior diferença, em tudo o que nos propomos a fazer.

          Estive refletindo esses dias, que nesses 9 anos - em que tenho dedicado a minha vida pra arte, desde que me senti entusiasmado a começar, até aqui - eu fiz tanta coisa, que nunca passou pela minha cabeça que seria capaz de fazer, conheci tantas pessoas queridas, que quando olho pra trás vejo quantos presentes, quantos abraços, quantos lugares, quantas conversas compartilhadas, quantos passeios e (mesmo sendo brega) quantas emoções.



          Estou me recordando de uma apresentação quando eu estava em cartaz com o um espetáculo infantil que eu trabalhava, fomos nos apresentar num belo final de semana no Teatro Nelson Rodrigues, em Guarulhos, e me recordo da platéia recebendo o nosso trabalho com tanto amor, batendo palmas, interagindo, e são exatamente esses momentos, tão importantes,  tão decisivos em quando se trata de pensar em desistir, não dá. A gente se sente responsável por fazer o "bichinho do teatro" despertar em outras pessoas também, bem como foi despertado em mim um dia, outras pessoas tem esse direito. A responsabilidade é muito grande, mas sinceramente? ... qualquer vontade de esmorecer, cai por terra. Hoje vivo uma etapa de cruzes também, de certa forma, mas não reclamo de nada que acontece, o tempo das vacas gordas há de vir um dia. Torço muito pelos meus companheiros de trabalho, pelos artistas que compartilham a sua trajetória comigo em meu trabalho musical, no grupo de teatro onde trabalho, e as mesmas vibrações que desejo pra mim - e anseio - pra todos os dias, quero que outros tomem partido também, evoé !

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Meus Heróis Favoritos

Me recordo que nutro uma paixão por leitura de HQ's desde muito criança, aos 6 anos de idade a minha mãe conseguiu com um antigo vizinho uma pilha bem grande com muitos gibis do universo DC e Marvel Comics, e isso me ajudou em muito com a leitura - na época - pois foi algo que me motivou muito a ler naquela época, muito mesmo. Haviam várias histórias que eu gostava de ler, as principais delas eram Gavião Arqueiro, Liga da Justiça, Demolidor, X-men, Homem Aranha, e outros do universo dos heróis, e veja que engraçado, até hoje na vida adulta continuo gostando, seguindo fielmente e o meu gosto por universo fantástico nunca foi embora.

          Aqui abaixo vou listar alguns dos personagens que mais gosto, dentre várias histórias:

Aquaman


Mulher-Gavião

Batman

Bishop

Colossus

Anjo

Namor


Ajax
 


Tempestade

 


Dos que me recordo agora, são esses. E você, quais são os seus heróis favoritos ?

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Novas Perspectivas em Vista

Oi gente querida, como vai ? Estou por aqui tão feliz com as coisas que me vem acontecendo, nem toda hora consigo vir reportar as coisas aqui no blog, mas venho sempre que posso, é um prazer. Recentemente venho percebido que novos rumos serão tomados com relação à minha carreira - querendo eu ou não - daqui por diante.

          Tenho desenvolvido uma pesquisa com desenho e representação de figura humana, faz um tempo, e agora novas perspectivas serão traçadas, uma vez que darei início numa nova universidade, cursar o tão sonhado curso de graduação de Artes Plásticas, e mais, num lugar que é o sonho de qualquer artista, estou muito entusiasmado.

          No que diz respeito ao teatro, estou muito contente também, com as coisas que temos feito nos últimos encontros com o Almas Peregrinas, que é o nosso trabalho atual. O N.T.O. (Núcleo Teatral Opereta) tem me proporcionado bastante experiências bacanas. Em breve colocaremos o trabalho em cartaz novamente, e estou bem contente com o resultado, vocês vão conferir, avisarei pelas redes sociais quando tiver data definida.



          Recentemente fiquei bastante bastante feliz ao prestigiar o evento internacional que ocorreu no espaço cultural do grupo Contadores de Mentira, que fomos prestigiar, que bacana a programação, foi muito produtivo, fizemos Oficina, vimos palestras, houveram vários espetáculos na programação, foi especial, maravilhoso e valeu muito a pena conferir.

terça-feira, 18 de julho de 2017

A Dificuldade Não Lhe Dá o Direito de Desistir

Sobre quando a gente procura algo, que nem sempre é aquilo que precisamos, é engraçado, não? A gente se contenta com tão pouco em algumas situações, e n'outras a gente quer mais do que realmente precisa pra ser feliz. E indo ao cerne da questão, o que é ser feliz, afinal ? Importante reflexão que é muito bacana quando paramos pra fazer, que de repente precisamos de bem menos do que realmente achamos que nos é essencial pra que os nossos dias sejam completos. Hoje me coloquei a pensar nestas questões, e isso nos ajuda também a ser um pouco mais humildes com o sentimento da gente, é necessário.

          Me lembro que quando eu era criança, não eram muitas coisas necessárias pra me deixar feliz, como todo menino beirando os 7 ou 8 anos, eu gostava de colecionar carrinhos, de todos os tipos, eu brincava, e sem me dar conta que quando crescesse buscaria o mundo das artes pra me propiciar o sustento e alegria para todos os dias dali aos próximos 20 anos ( e talvez, se o mundo me permitir, pra vida inteira ), no dia em que percebi isso fui mais feliz, e após ter realmente consciência de que seria isso mesmo, apostei. Hoje fazem quase 9 anos em que abdiquei de todo o resto para seguir este caminho com unhas e dentes, e só tenho a comemorar, mesmo não tendo ainda tudo o que quero, sou muito feliz mesmo assim, pois não fico me lamentando pelas minhas não conquistas, como vejo muitas pessoas fazerem e se frustrarem, eu posso dizer que corri atrás. Se vai dar tudo certo pra sempre eu não sei, mas importa é que eu fui atrás e não fiquei esperando feito um moribundo.



          Recentemente recebi uma notícia que muito me encheu de alegria, fui contemplado com uma bolsa 100% para cursar Artes Plásticas na Faculdade Belas Artes, em São Paulo, que é uma universidade respeitada por todos, nunca passou pela minha cabeça estudar lá, nunca teria condições de cursar a faculdade num lugar como esse, que é tão bem frequentado, com pessoas com um outro patamar de vida, que eu tenha sabedoria pra lidar com todas estas novidades que com esta notícia irão chegar, estou muito grato e feliz. Rumo a um novo início e etapa na minha vida !!

terça-feira, 4 de julho de 2017

Vivências no Teatro de Grupo

Ser uma pessoa de tentar provar tudo para outros realmente não está com nada, vivemos num tempo em que todo mundo está podendo ser quem quer ser, isso é um grandioso avanço, ao meu ver. Quando a gente fala de liberdade de expressão tudo tem limite, contudo, ser feliz habita um lugar de importância acima disso tudo, e é isso que tentamos ferozmente a todo momento.

          Atualmente trabalhando no espetáculo Almas Peregrinas, estou vivenciando alguns estudos, muitas reflexões, pesquisa atrás de pesquisa, em busca de encontrar explicações (em grupo) sobre o por quê fazemos este trabalho, o por quê falar a respeito dos temas que abordamos, tem sido muito grandioso colocar em pauta todas os temas que são levantados a todo momento, realmente, o teatro de grupo é transformador. No teatro de grupo somos um pouco mais responsáveis por tudo, dentro de todas as áreas do que nos é esperado pro acontecimento do trabalho, e fazemos isto por meio de estudo, é algo muito mais que artesanal, é gratificante, nos profissionalizamos por um mérito mais cheio de suór, trocamos vivências uns com os outros, é um caminho de cruzes, sim, mas vale muito a pena.



          Atualmente, com o trabalho que estamos em pauta, estou a estudar o livro Pedro Páramo, do autor mexicano Juan Rulfo, um clássico da literatura latina, o livro é bem denso, com muitas informações em aberto, o que de certa forma é bom - pois nos dá liberdade de, enquanto atores, criar. Recentemente nos apresentamos, e muito em breve entraremos em cartaz novamente, as datas eu avisarei por aqui, mas de ante-mão o aviso que este mês de Julho é aniversário de 26 do grupo, e haverão algumas apresentações na programação, incluindo uma festa junina encenada. Mais informações, na página do Núcleo Teatral Opereta, no Facebook.

          Gratidão.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Se Perceber é Essencial

Se há algo na vida que eu nunca tive vergonha é de assumir pro universo a minha postura enquanto escolha de vida. Nestes últimos dias eu tenho refletido bastante a respeito de como as coisas funcionam pra mim, administrar as minhas pressas, crer que na vida poucas coisas funcionam de acordo com o nosso tempo, complicado né? Enfim, coisa de se refletir por muito tempo, se houvermos brechas pra isso, obviamente. Após retornar do Festival Knot Nudos, eu voltei firme a fazer arte de rua, e estou me percebendo de tantas maneiras com esta experiência, é muito revigorante.




          Há quem subestime o trabalho que eu realizo na rua, de tocar músicas pra pessoas desconhecidas, e pouco sabem - ao criticar superficialmente - é que neste espaço pra lá de alternativo a gente consegue se surpreender tanto. Tem muita gente carinhosa, tem muita gente que pouco se importa, tem pessoas que se surpreendem e perguntam por que eu não estou no The Voice, rsrs.. dentre outras inúmeras reações, a minha resposta é a mesma pra todas elas: é que independente do espaço me ser aberto ou não pra estar no The Voice ou em qualquer outro concurso ( pois é muito difícil entrar ) é que eu estou em atividade, sigo firme no teatro, fazendo shows, fazendo apresentações de rua, participando de Saraus em diversos lugares e fazendo o que sei fazer de melhor na vida: transmitir mensagens.

          Deixo o convite pra quem puder (e quiser, obviamente) escutar a canção que mais tenho cantado ultimamente, que é "Quando Um Dia Eu Voltar" de autoria do querido Daniel Feittosa, que é um artista independente também, como eu. Se possível, conheçam também o trabalho dele. A canção está no meu canal do YouTube, mas de qualquer maneira linko abaixo, pode escutar com carinho?


Gratidão.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

O Nosso Jeito de Ser Não Tem Que Mudar

Há alguns dias fiz uma observação quanto a coisas que tenho visto, e que de certa forma tem me incomodado. Ingressei no mês de janeiro, em uma viagem com algumas pessoas do meu convívio profissional, e me dei conta de qual a leitura que estas pessoas tem sobre mim quanto se trata do âmbito pessoal. Fiquei surpreso? Não, mas um pouco decepcionado naquele momento, claro que depois passou, mas me pôs a refletir.
 
 
          Quem me conhece sabe que quando não gosto de uma coisa, eu não finjo estar tudo bem, não sou duas pessoas, sou uma só. Reflito também sobre as verdadeiras amizades, quem são elas afinal? As pessoas demonstram fidelidade (ou a falta dela) é nos pequenos gestos, do não voto de confiança, do priorizar os que estão fora ao invés dos próprios companheiros de equipe, enfim, há dias tenho observado várias coisas que além de não ter me agradado, tem me ajudado a constatar a suspeita que eu tinha de que fosse isto mesmo.
         Fato é que eu tenho o meu jeito de ser e quem não está preparado para lidar com ele não faz menção de partilhar das coisas legais que tenho por oferecer, o que mostro pro mundo é parte de quem eu sou, do que trago em minha essência, terei eu tiver de fingir ser um outro alguém pra agradar apenas aos outros?  Não seria eu. O que é o correto, afinal?