segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Almas Peregrinas estréia em Americana-SP

Retorno às aulas, sigo tão contente, por todas as oportunidades que tenho recebido de colocar a minha vida no lugar, o coração fora de área pra alguns aborrecimentos, sentimento bom por ver que as coisas estão caminhando, estou realizando o meu sonho, indo em busca da minha graduação, parece algo muito insignificante pra algumas pessoas, mas pra mim tem grande significado, aliás, muito significado. Estou muito agradecido por poder estudar onde eu estudo, e vivenciar as coisas bonitas que me vem acontecendo, agora é aguentar, pois o 2018 já chegou com a corda toda.



          Pra quem vem me acompanhando sabe que junto ao meu grupo, estrearei na cidade de Americana-SP, a circulação do espetáculo em que trabalho, o "Almas Peregrinas", junto com o N.T.O (Núcleo Teatral Opereta). Seguirão abaixo as informações técnicas à respeito da apresentação:

SINOPSE

Quando Juan promete a sua mãe, que está à beira da morte, que voltará a cidade que ela deixou para trás quando ainda estava grávida dele, não imaginava que iria de encontro com o seu próprio fim. O principal motivo que o estimula a ir para Campo Lunar é o de conhecer seu pai, Rubão Barros, que foi um rico e poderoso fazendeiro daquela região. Juan não encontra seu pai, pois descobre antes mesmo de entrar na cidade que ele está morto, mas encontra um de seus meio-irmãos, que o conduzirá até a entrada da cidade. Para grande desespero de Juan, ele descobre que a cidade está abandonada e que seus moradores têm aparência e jeito estranhos: todos estão mortos e seus espíritos vagam pela cidade, sem descanso, esperando pelo perdão para os seus pecados. O limite entre tempo e espaço se rompe e os habitantes da cidade revivem seus tormentos e suas vidas num movimento cíclico que nunca termina. É a maldição de Rubão Barros, que nunca teve o seu amor pela triste e solitária Suzana correspondido.


FICHA TÉCNICA

Gênero: Drama
Elenco: Anderson Borges – Camila Rafael – Dora Nunes 
Edson Guilherme – Jhony Uriel – Marco Senna 
Patty Nascimento – Priscila Klesse
Dramaturgia: Camila Rafael
Direção: Ailton Ferreira
Assistência de Direção: Priscila Klesse
Cenografia: Marco Senna e Grupo
Criação de Figurino: Pâmella Carmo e Grupo
Assessoria de Figurino: Maria C. S. de Oliveira – Vilma Oxando
Costureiras: Carmen Miguel – Leonice Klesse
Maquiagem: Priscila Klesse e Grupo
Direção Musical: Fílipi Lima
Músicos: Fílipi Lima – Kelvin Lucas
Músicas: Alexandre Guilherme – Camila Rafael – Fílipi Lima – Silas Xavier
Coreografias: Isabela Lanute
Fotografia e Projeto Gráfico: Giulia Martins
Captação e Edição de Vídeo: Giulia Martins – Taciano Holanda 
Iluminação e Som: Taciano Holanda
Produção: Marco Senna
Assessoria de Imprensa: Delcimar Ferreira – Núcleo de Mídia Opereta
Duração: Aproximadamente 75 minutos
Classificação Indicativa: 12 anos

  Fica o convite pra quem quiser conhecer mais a respeito do trabalho, estamos de portas e braços abertos pra lhe receber, segue o endereço de cada apresentação abaixo:



Acompanhe no facebook tanto a minha página quanto a página do grupo, pra saber mais a respeito:
- Facebook: Jhony Uriel ArT
- Facebook: Núcleo Teatral Opereta

Lá há todas as informações.
Gratidão !
      

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Um Vídeo-Clipe pra Canção "Vício"

Algumas pessoas já ficaram sabendo e inclusive já conferiram o vídeo-clipe que coloquei no ar há poucos dias atrás, da canção de trabalho do meu novo CD. A escolha desta música foi uma grata surpresa, pois até o acontecimento do Show Intimidade, no ano passado eu não olhava pra essa canção ainda como música pra ser a principal faixa do CD, porém, após a visita e participação da autora da canção, a Glau Piva, nesta ocasião, eu me entusiasmei a transformar Vício no carro-chefe deste meu novo trabalho. A direção do vídeo é do Alex Souza (Pentaprisma Produtora) e no elenco conta com a atriz Anna Flávia Macedo e também com o Ton Venâncio.



          A canção é pra lá de especial, com um toque muito delicado no uso das palavras, a música promete encantar as pessoas que gostam de Mpb com letras inteligentes, a canção é leve, cheia de nuances no que diz respeito ao tema que dá título à mesma, Vício é uma canção que vale a pena ser escutada, confira o vídeo abaixo, e se não lhe for incomodar, deixe um comentário no vídeo, deixando a sua opinião.



sábado, 27 de janeiro de 2018

Kades Singers, mais de 20 anos de Trajetória

Oi minha gente,
Hoje vim comentar a cerca da carreira de um grupo que eu sempre admirei muito, que é o grupo Kades Singers. Famosos por serem um dos grupos vocais mais harmônicos do país já há muitos anos, composto por vozes de diferentes classificações, e que juntas interpretam músicas com uma perfeição ímpar. Dentre os integrantes de maior destaque que já fizeram parte do grupo, estão Jussy Oliveira (atualmente, Jussara Chieregato), Marlon Saint, Raquel Melo, Denise Montiel, Denis Goursand, dentre outros.



          O grupo fez parte durante muito tempo da famosa gravadora MK Publicitá, no Rio de Janeiro, e posteriormente, também gravaram dois discos pelo selo da Line Records (gravadora famosa por ter em sua vitrine artistas de peso como Robinson Monteiro, Régis Danese e Jamily), seus discos, em sequência são "Kades Singers - Alta Voz", "Kades Singers - Muita Vida ", "Kades Singers - Espaço pra Mudança" , que é o meu favorito, "Kades Singers - Fé Imbatível" e "Kades Singers - Intimidade", lembrando também que antes de serem lançados com o disco Alta-Voz, o grupo gravou um CD com canções de natal.

          Abaixo, seguem duas canções do grupo que valem muito à pena serem escutadas:

"Não Vou Temer", apresentada na festa de 15 anos da gravadora Line Records.

 
"Tantas Maneiras", canção que faz parte
do CD Intimidade, último trabalho
do grupo lançado pela Line Records.



quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

A Correria de 2018 Começou

Oi gente querida,
Coisa boa hein, 2018 já chegando com voadora de dois pés em cima da gente, todo mundo correndo com os trabalhos e planejamentos dos projetos para o restante do ano inteiro vir munido de sucesso. Começo falando a respeito da circulação do espetáculo  em que estamos trabalhando, o Almas Peregrinas, estamos todos entusiasmados com o desfecho que a peça está tomando.




          Este ano por conta da correria da peça acabei não conseguindo participar do processo do Passos, mas em contra-partida sigo firme ensaiando e projetando o que será dos outros trabalhos, a remontagem de "Fragmentos Cômicos", trabalho em que estou retomando, obra em que fiquei em cartaz lá no ano de 2012 - se não me engano, faz muito tempo já, além também do meu novo show, Quanto Vale um Coração, que estreará agora em fevereiro, no dia 25, no Teatro da Neura, estamos correndo com a produção do show, bem contentes, novidades em breve aqui no blog pra vocês ficarem sabendo.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Eu Não Sei Deixar Você Ir

Parece que quando é você eu não sei nada, esqueço dos meus princípios, você que lidou com os meus maiores desequilíbrios da maneira que ninguém conheceu, me deixa triste até hoje pensar que não deu, que o mundo não permitiu. Lembro sempre das rosas que te levei, me lembro que das vezes que eu quis viver algo novo, sempre voltava pra saber se no seu coração nada mudou, e pra viver, dependi disso, tem hora que acho que ainda dependo - mesmo estando eu muito mais forte hoje - você é um fantasma, não consigo outra palavra pra definir o que você representa pra mim, já que não importa pra voce, e por onde eu vá, acabo esbarrando na nossa história.  

         
 

          Mas pra quê ficar chorando, não é? A vida é um carnaval no final das contas, tudo muda, e das dores se vai levando. O importante é saber que nesses acontecimentos da vida a gente se torna mais experiente e entende que o mundo funciona de um jeito em que, nem tudo acontece do jeito que a gente quer, isso é uma experiência um pouco dolorosa de passar, afinal, criamos expectativas e as coisas não seguem sempre o caminho planejado, mas fazer o quê? É vida que segue.

         

domingo, 3 de dezembro de 2017

No lugar do Coraçao, um Rio

Oi gente querida,
Eu aqui no blog outra vez, tudo bem ?

É bom demais celebrar o domínio próprio, não é? Não tem sentimento melhor do que conseguir dizer "não" para as coisas que estão na cara que podem nos machucar, demorei e custei muito a entender como lidar com estes mecanismos de defesa, e posso dizer com todas as palavras e letras: faz muito bem andar na vida com as antenas funcionando, no lugar do coração, pôr um rio, para que as coisas na vida da gente fluam, sigam, faz um bem danado. Há uns dias atrás me aconteceu algo muito especial, houve a estréia de um espaço cultural em Ferraz de Vasconcelos, no evento Lite-Raízes, da qual fui convidado a fazer o retrato dos convidados da uma das mesas de debate. Preciso parabenizar e tirar o chapéu para a organização do evento, na pessoa do Tato Wellington, que de maneira muito querida me recebeu com os braços abertos, tenho certeza que o projeto (do espaço cultural) será um sucesso, eu torço demais por isso, pessoas do bem merecem ser reconhecidas, vida longa às pessoas de coração aberto pra gente que lida com arte, tem tanta gente que só nos recebe com portas na cara.



          Quero aproveitar a visita aqui no blog pra dizer que estou muito orgulhoso de apresentar a vocês o web-clipe da canção "Cinema", feito em parceria com um antigo amigo, o Thiago Nasch, canção especial que tem permeado as minhas apresentações e shows de 2017 inteiro, desde o lançamento do Show Intimidade e tem sido uma alegria cantá-la por aí, tem muito a ver com a minha verdade. Deixo o link abaixo, e peço que deixe o seu comentário com um feedback no caso de gostar da canção, em 2018 virão várias músicas novas pra apresentar pra vocês, vai ser um ano intenso e cheio de novos acontecimentos.

         
          Gratidão pelo carinho contínuo !

domingo, 19 de novembro de 2017

Acima de Qualquer Coisa Priorizar Sempre a Nossa Felicidade Pessoal

De um tempo pra cá tenho me surpreendido com tantas coisas boas que tem acontecido na minha vida, mesmo que com outras muito ruins acontecendo ao mesmo tempo, mas é como ouvimos dizer, precisamos filtrar o lado bom de tudo o que nos é apresentado. Após iniciar a faculdade, tem me aparecido tantas potencialidades com relação ao que eu sou capaz de fazer, isso tem me deixado muito feliz. Estou cada vez mais entusiasmado a me dedicar à ilustração e ao universo da imagem. No começo de setembro, o Wesley Brito (um artista de São Paulo) junto a mim, criou o Coletivo Barbane, um coletivo de produção plástica e visual, onde nos dedicamos à produção e à venda de desenhos, e a cada semana nos propomos a desafios diferentes, estamos bem felizes com isso, e claro, batalhando para que o projeto dê certo e ande.

          Na quarta-feira passada, 15 de novembro, participamos da 4ª edição da feira literária itinerante de Poá (a FLIPoá) organizada pelo articulador cultural Magno Oliveira e o Marco Senna, com quem divido o palco no espetáculo Almas Peregrinas, que comento aqui no blog com frequência ( espetáculo atual em que estou trabalhando ). Foi muito bacana pois tive a oportunidade de participar pela primeira vez em um evento como artista-plástico, lá estava eu junto ao meu parceiro Wesley Brito, o nenê. Foram muitas pessoas que frequentaram o evento, houveram atividades das mais variadas naturezas: palestra, bate-papo, contação de histórias, intervenção mural, música, varal de poesias, hip-hop, apresentações de dança, coral infantil, foi muito honroso pra mim poder participação deste lindo acontecimento.


Jhony Uriel, interpretando a canção "Do Meu Lado", de autoria de Jeff Garcia e Nila
Branco durante a 4° edição da FLIPoá-2017.
 

Varal de Poesias do ativista cultural Magno Oliveira.
 

Jhony Uriel, Arley Mc e Mano Rodolfo interpretando a canção "Realização" , parceria
dos 3, durante a programação da FLIPoá.
 

Crianças e adultos interagindo durante FLIPoá
 

Comunidade comparece em peso ao evento realizado no espaço Batuíra, em Poá.

Arley MC apresentando sua nova canção "A Rua me Chama".
 

Com a palavra, Magno Oliveira, poeta e ativista cultural poaense.

Comunidade participando do bate-papo sobre políticas públicas.
 

Varal de poesias, de Magno Oliveira, durante a FLIPoá. 

Jhony Uriel, que além de apresentar um número musical no evento, interpretando a canção "Do Meu Lado" disponível
para audição na internet, participa do evento pela primeira vez como artista-plástico, junto ao Coletivo Barbane.
 


          Agora daqui por diante são novas perspectivas, novos planos, e novas tentativas. Ser artista é matar um leão por dia, todos os dias ir na tentativa de fazer a vida acontecer, incessantemente. Me coloco a refletir se quem sabe eu soubesse que era tão difícil assim eu não houvesse nem começado, digo antes, bem antes, lá no começo, há por volta de 9 anos atrás ( quando eu iniciei ) e depois caio na realidade outra, e me recordo de que foi a melhor escolha que fiz na minha vida, e que se fizesse outra coisa ( como seguir outro caminho ) eu não seria realmente feliz, como sou hoje (e de 9 anos pra cá).

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

São retomados os trabalhos com o Poética Rock

Cada coisa que a gente vai passando na vida, a gente vai aprendendo mais, e nos ajudando a nos tornar seres-humanos melhores, incrível né?! Tenho aprendido tanto neste último semestre o quanto que os nossos sonhos podem se tornar realidade, tenho passado algumas dificuldades por um lado, porém, apenas glórias por outro: estar estudando outra vez. Voltar à universidade pra mim é de grande valor, agradeço diariamente ao universo por ter me propiciado esta oportunidade, estou transbordante de felicidade.

          Atualmente, estou envolvido em um projeto novo e ao mesmo tempo antigo, que é o Poética Urbana, que para as pessoas que me acompanham já há uns anos, conheciam como Poética Rock, um show antigo em que eu trabalhava música e poesia, cheguei a ficar um certo tempo com este trabalho em pauta, agora com um novo título e em um formato renovado, lhes apresento o Poética Urbana. Após o convite de um querido amigo, o Dimmy Calabrez ( que trabalhou comigo nos shows "Intimidade" , "Nosso Retrato", ter gravado os contra-baixos do meu disco, e também termos trabalhado juntos no Passos da Paixão), nos juntamos e decidimos colocar o trabalho em pauta outra vez, agora como banda. Desta vez a proposta do repertório segue a mesma linha, voltado ao rock, porém um pouco mais renovado, e muito mais jovem - ao mesmo tempo que não deixa de ser clássico.



          Agora no Poética Urbana eu tenho a oportunidade de tocar menos, digo..., me desprender um pouco do instrumento, e focar um pouco mais no cantar, que é algo que me apresentando sozinho é um pouco inconcebível, e é algo que há muito tempo já não consigo fazer, estou bem entusiasmado.  No repertório há músicas muito diversificadas, que vão de Fall out Boys, Titãs, Cher, Pearl Jam, Câmisa de Vênus, Skank e diversas outras conhecidas bandas do cenário rock e pop, os ensaios começaram a dois meses e tem coisa muito bacana vindo por aí, reportarei as novidades pela minha página no facebook. Acompanhem aí !