sexta-feira, 28 de abril de 2017

O Nosso Jeito de Ser Não Tem Que Mudar

Há alguns dias fiz uma observação quanto a coisas que tenho visto, e que de certa forma tem me incomodado. Ingressei no mês de janeiro, em uma viagem com algumas pessoas do meu convívio profissional, e me dei conta de qual a leitura que estas pessoas tem sobre mim quanto se trata do âmbito pessoal. Fiquei surpreso? Não, mas um pouco decepcionado naquele momento, claro que depois passou, mas me pôs a refletir.
 
 
          Quem me conhece sabe que quando não gosto de uma coisa, eu não finjo estar tudo bem, não sou duas pessoas, sou uma só. Reflito também sobre as verdadeiras amizades, quem são elas afinal? As pessoas demonstram fidelidade (ou a falta dela) é nos pequenos gestos, do não voto de confiança, do priorizar os que estão fora ao invés dos próprios companheiros de equipe, enfim, há dias tenho observado várias coisas que além de não ter me agradado, tem me ajudado a constatar a suspeita que eu tinha de que fosse isto mesmo.
         Fato é que eu tenho o meu jeito de ser e quem não está preparado para lidar com ele não faz menção de partilhar das coisas legais que tenho por oferecer, o que mostro pro mundo é parte de quem eu sou, do que trago em minha essência, terei eu tiver de fingir ser um outro alguém pra agradar apenas aos outros?  Não seria eu. O que é o correto, afinal?

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

KNOTS NUDOS FESTIVAL: #1

Nestes últimos meses pra quem tem acompanhado as minhas atividades, sabe que desde novembro estou me envolvendo com o Núcleo Teatral Opereta (NTO), em sua remontagem do espetáculo "Almas Peregrinas", ao qual estou bem feliz pela oportunidade de fazer parte. Estou num processo pessoal bem gostoso por contracenar com pessoas que admirei há muitos anos, e que me inspiraram de certa forma, é um tempo de aprendizados contínuos, daqui há alguns dias apresentaremos pela segunda vez (comigo no elenco) e isso tem servido pra eu sentir como é o ritmo do grupo também.

          É sempre muito difícil ser o último a integrar algo, a gente fica um pouco ressabiado de tomar partido de certas opiniões no começo, temendo ser intransigente, sabe? Algo do tipo. Contudo, quem me conhece sabe que eu não sou o tipo de homem que pergunta antes de atirar, eu atiro primeiro e pergunto depois, não sou de ficar esperando, e com isso é que chegamos nos lugares, a intrepidez conta muito - ao menos sob o meu ponto de vista, rs. Estamos a falar sobre questões agrárias, alguns conflitos de cunho familiar, sociais-políticos e também sobre pós-morte nesta obra, que é livremente inspirada no clássico mexicano do autor Juan Rulfo, sob a dramaturgia de Camila Rafael e direção de Ailton Ferreira, estou bem entusiasmado.

          Acompanhem as notícias na página do Núcleo Teatral Opereta também, lá são postados panoramas mais gerais sobre o andamento do processo com o espetáculo, o grupo segue a festejar mais um aniversário e a programação está bem extensa, cheia de coisa legal. Enquanto isso sigo por aqui à desfrutar, desfrutar e desfrutar, um VIVA a este momento.
         

         

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Celebrar os Nossos Acontecimentos Pessoais

Ano começando e tanta coisa boa, 2017 chega e já me traz lindos presentes, ano que promete ser mais bonito ainda que 2016, estou com ótimas perspectivas com relação à minha carreira. No ano passado foi um dos anos que eu fiz mais teatro, estive em diversas montagens ao mesmo tempo - o que me deixou muito sobrecarregado também, mas só quando a gente faz que nos pegamos a reconhecer o valor do esforço do desdobramento, isso é algo que com certeza trás um sorriso tão gratificante, que não vem apenas do rosto, mas de dentro. 

          Quem cisma em correr atrás do que quer, sempre se pega a questionar se é aquilo mesmo, pois os objetivos de vida que temos nos custam, e custam muito: suor, lágrimas, esforço físico (e mental), desdobramentos inúmeros, fazer sacrifícios, enfim.. este ano concluo um ciclo de 9 anos de carreira, em 2018 farei algo pra comemorar os meus 10 anos, não sei ainda se um Show especial, ou se vou gravar algo, ainda irei decidir, mas o que sei é que 2017 será um ano de muitos acontecimentos pra concluir este ciclo do meu 9º ano fazendo o que amo da vida, aproveito pra deixar aqui um agradecimento muito especial às pessoas que tem confiado no meu trabalho, às pessoas que tem assistido, comentado, comprado, e apoiado a arte que faço com tanto carinho e entrega, o meu  mais sincero Muito Obrigado. 
  

          Agora ainda este mês me apresentarei num importante Festival de Teatro que está acontecendo em Mogi das Cruzes, em breve terei mais informações pra reportar aqui no blog, mas adianto que o espetáculo será o "Almas Peregrinas", que é uma re-leitura da obra "Pedro Páramo" do autor mexicano Juan Rulfo, um livro especial, clássico da literatura do México, que estamos a remontar aqui no Brasil, sob a direção de Ailton Ferreira e da Priscila Klesse - que já me dirigiu anteriormente em "A Casa de Bernarda Alba", "Passos da Paixão" e também "Fim de Partida", agora retomando a parceria também como companheira de cena, estou bem contente. 

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Das Nossas Limitações, Extrair Potencialidades

Tive a graça de conhecer, há não muito tempo atrás, o trabalho de uma dupla formidável de artistas, residentes de Embu das Artes, região metropolitana de São Paulo. Edgar Izarelli e Lua Rodrigues, que integram e encabeçam vários projetos de teatro, performance e artes plásticas, e juntos tem um filho. Edgar é escritor do livro "Infinitivos", e já tem alguns trabalhos publicados, que valem a pena ser conferidos.



          O principal aprendizado que tive ao conversar com Izarelli foi o como de suas limitações ele fez trampolins pra ir chegando mais perto de onde está hoje, no texto, na entrevista, e também na vida, ele ressalta que de suas limitações é que ele extraiu as suas maiores potencialidades, frase que marcou com certeza a minha visita à Embu das Artes, e que faço grato o gesto de terem me recebido e topado passar a tarde comigo. Abaixo segue o link para assistir a entrevista que realizamos:



A entrevista, fez parte do laboratório de estudo e observação para o personagem que irei interpretar no espetáculo "Fim de Partida", de Samuel Beckett. A estréia será em 11 de dezembro, no Espaço Cultural Opereta, localizado na Rua Doutor Emílio Ribas, 168 - Poá - SP. Às 20h, com direção de Marco Senna e Priscila Klesse, deixo um convite bem carinhoso pra que você venha assistir e prestigiar. Conheçam também o trabalho de Edgar Izarelli e Lua Rodrigues, o mesmo se faz disponível no Facebook. Gratidão !

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Cuidar do nosso Templo Pessoal É Mais Que Necessário

Parte do meu tempo ultimamente tem servido para eu me dedicar a mim mesmo, às minhas coisas, e como tem sido bom, viu? Vou contar o quanto que revigora saber que cuidar do nosso templo pessoal (que é o corpo da gente) e da alma faz bem, e melhora a nossa fisionomia e aura de uma forma majestosa. Toda vez quando voltamos a nossa atenção ao que faz bem pra gente mesmo, conseguimos dar atenção maior ao bem que potencialmente podemos fazer a quem está ao nosso redor, não pode  fazer bem ao outro quem não está bem consigo mesmo primeiro, é algo que mesmo parecendo mesquinho e egoísta, faz sentido.



          No ano de 2016 vivi diversas coisas maravilhosas, experiências, conversas, superações, passeios, e até comecei a andar de skate, rsrs.. informação esta que embora não muito relevante, mostra e evidencia o quanto estou feliz neste momento atual que estou vivendo. Há uma canção da Daniela Mercury que diz que o que não compreendemos no momento de conturbações é por que vamos entender mais a diante, é faz todo sentido. Profissionalmente, continuo firme com as gravações do meu novo CD, estou trabalhando também em um novo espetáculo, que está com estréia prevista para Dezembro, mais especificamente no dia 4, e há surpresas bacanas aí pra quem gosta de Teatro, mais um novo trabalho, com honras e glórias, se chama "Fim de Partida". 

          Fazemos o que queremos da vida da gente, e reforço dizendo que todo ser-humano veio a este mundo para ser feliz, e como digo sempre: feliz em plenitude, é o que desejo pra você que leu este post, com o coração aberto. O final de ano vem chegando, e não se esqueça de deixar as coisas ruins pra trás, ver estas coisas ruins passarem de longe, e simplesmente cuidar de si mesmo, do próprio templo pessoal e intransferível, faz muito bem. 

       

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Sensibilidade pra Entender

Engraçado como a gente aprende a não se comover com certas ocasiões mais, coisas que antes nos era concretamente motivo pra nos destabanarmos em choro, depois de umas porradas da vida ficamos mais maduros, sei lá, às vezes nem é nada disso que eu falei, mas a gente pensa mesmo assim. 



          Graças a Deus eu tenho sensibilidade, pra entender estas coisas todas que sinto. Sentir não é a pior parte, até que é fácil, difícil mesmo é ordenar tudo, nessas horas a gente ativa um interruptor em algum lugar dentro da gente, que ascende uma sala cheia de pastas e gavetas, como um almoxarifado gigante, sabe? Só que incrivelmente os arquivos, documentos e registros não são etiquetados da forma como deveriam ser, quem não tem humanidade o bastante dentro de si não é capaz de sair do lugar e começar a vasculhar, ler, procurar, etc. Neste quesito tudo o que me faz bem, é lembrar que sou homem, cheio de defeitos também, com tudo aquilo que vem dentro do pacote, sendo homem é mais fácil, onde tem defeitos tem qualidades também, eles coexistem tranquilamente quando sabemos administrá-los. 

          Um abraço agora me faria bem, abraço com humanidade, com força, sinceridade, esta é a minha prece mais importante, pra vida inteira, ter abraços sinceros pra compartilhar. 

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Sobre Ser Feliz

Hoje eu gostaria de falar sobre algo que sempre me fez pensar: Ser feliz . Acho que pra certas coisas nunca é fácil deixar completamente de olhar pra trás, é algo muito subjetivo. Se temos saudades de algo, é por que de alguma forma aquilo nos foi bom, não significa entretanto que aquilo nos vá servir de tema pra livro, ou nada do gênero, rs rs .. são segundos e frações na nossa história, hoje aprendi que tudo passa, da forma mais complicada pra tal, olhando pra trás e percebendo que já foi, não posso dizer que não sinto ainda uma dorzinha, sinto sim, mas hoje tenho novos pactos comigo, por não apenas segundos, mas por objetivos novos, de sempre ser feliz, mais feliz, e mais feliz. 



          Me lembro que na minha adolescência eu ouvia um disco muito especial pra mim até hoje, com este título "Mais Feliz" da Adriana Arydes, e isto nunca me saiu da cabeça, compreender ao certo o que nos é felicidade é muito estreito, hora algo nos faz feliz, hora não faz mais, a vida segue como um rio, e sempre tem uma pedra que divide a passagem das águas, esta reflexão não faz parte do desencantar pelas coisas (ou pelas pessoas), tem mais a ver com a tentativa de ser feliz a todo momento, atendendo as necessidades emocionais que vão surgindo, difícil de entender né? Pois é, mais difícil ainda de vivenciar, quantos versos simples e/ou cartas absurdamente compridas que escrevi, a minha felicidade não voltou, veja só.. injustiça? Não sei, não consigo descrever, o que sei é que afinal de contas aprendi muito, e como dizem, é preciso ser feliz, feliz, feliz, todo ser humano veio a este mundo para isto. Há uma canção da Zélia Duncan que diz assim:  "Então a moral da história vai estar sempre na glória, de fazermos o que nos satisfaz", e eu acredito piamente nisto, ligar menos pra opinião dos outros e um pouco mais pra nossa. 

          Há umas semanas atrás mencionei a cerca do novo espetáculo, o mesmo segue firme, estamos estudando bastante sobre o conceito e sobre a mensagem que o texto trás consigo, e adianto, o espetáculo promete nuances de ambos os lados, dramático e cômico, muito envolvente o texto. O texto é do autor Samuel Beckett, com a direção de Marco Senna e Priscilla Klesse, com quem já trabalhei anteriormente com o espetáculo "A Casa de Bernarda Alba" há uns anos atrás, agora a experiência é nova, e cheia de surpresas. Um beijão aí, assina a página pra receber os próximos textos - caso houver interesse, obviamente. Fica com Deus. 

          

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Prestigiar a Arte dos Amigos Artistas

Estive refletindo aqui de uns tempos pra cá sobre a arte dos meus colegas de profissão, e a admiração que guardo pelos mesmos em saber que sou rodeado por pessoas cheias de tanta criatividade, isso me ajuda muito, me inspira e me renova energias, é revigorante. São diversos, diversos amigos e amigas artistas que tenho por citar, hoje venho por meio deste texto falar de alguns, de maneira pontuada e bem especial, dividir com você um pouco do que tem me feito feliz. 

GLAU PIVA
A cantora que conheci certa vez quando fui à São Paulo, há cerca de uns 3 ou 4 anos atrás. Me lembro que ela cantava num Shopping ali não muito distante do Anhangabaú, e foi amor à primeira vista, gostei muito das canções "Poema de Rosas", "Deixa Rolar" e "Vício", super recomendo pra quem quiser ouvir e conhecer, é muito bom. 

AUGUSTO LUNETTA
Essa voz especificamente me conquistou na época ainda do Orkut, por meio das comunidades com assuntos envoltos à troca de informações sobre música e tudo mais, sempre assisti os seus vídeos e performances, e mantemos um contato desde então. Me lembro que ele tinha um trabalho chamado Dupla Conexão, que era muito gostoso de ouvir, versionava canções da velha MPB de maneira esplêndida, hoje ele já não mora mais em SP, partiu pra Salvador pra tentar a vida por lá, mas o guardo na lembrança até hoje. 


RIK BENTO 
Uma parceria, que virou amizade, ou amizade que virou parceria, de uma maneira bem peculiar, guardo uma admiração pela prontidão, sabedoria e iniciativa que sempre observei. Rik tem uma loja virtual voltada ao público masculino, há por volta de uns 15 ou 16 anos aproximadamente, responsável por vestir durante muitos anos a conhecida e polêmica Léo Áquilla. Rik vem trabalhando comigo então desde o período em que iniciei a divulgação de meu trabalho anterior, o "Nosso Retrato" e desde então trocamos diversas vivências e compartilhamos de uma amizade que já deu inúmeros frutos, quem gosta de moda super recomendo que visite o seu site e fan-page, que estão na internet facilmente rastreáveis digitando "Loja Divas Boy Toy", que é o nome de sua grife. 

ARLEY MC
Este rapaz foi uma descoberta, menino prodígio da música da periferia pela região do alto-tietê. Ouvia falar muito no seu trabalho já de um tempo, mas foi somente agora, em 2016 que a arte nos propiciou um encontro, foi num evento de literatura, onde me apresentei com as canções do meu atual trabalho, que está em andamento ( o disco ''O Detalhe Que Esqueci de Te Contar" ). Lá estava eu a cantar as canções, e em seguida à minha apresentação eis que começa a tocar "Ritmo e Poesia", canção cheia de mensagens bacanas, e o que mais me encanta é a canção dele falar sobre as próprias origens, eu admiro muito isso. Ao nascer esta amizade, que virou parceria, ou também como citei ao falar do Rik (no parágrafo acima) acho que foi uma parceria que virou amizade, enfim.. fato é que no próximo dia 7 farei parte da banda de apoio ao seu mais recente show, que será apresentado durante a programação da Festa das Orquídeas, quem quiser informações basta procurá-lo no Facebook como "Arley MC", super recomendo. 



É isso queridos e queridas, partilhei um pouco aí do que tem me feito feliz nestes últimos tempos, ouçam e conheçam um pouco da carreira dessas pessoinhas citadas, são de grande serventia pro artista que sou, sempre me influenciar e me deixar envolver com pessoas que de certa forma me chamaram atenção e divido um pouco com vocês aí.. Pra quem ainda não ouviu o meu trabalho musical, segue abaixo um vídeo meu versionando a canção "Nothing Fails", da cantora Madonna, fico muito feliz se puder assistir, desde já obrigadão .. 




Beijão ! 
Jhony Uriel